sexta-feira, fevereiro 04, 2005

O Debate

Quem ganhou?
Concordo com o Carlos Magno: o PCP, o CDS e o Bloco! Os que lá não estiveram... Quem lá esteve, esteve mal e, por isso, perdeu.

Debates à Americana?
Cá para mim deviam, então, estar de pé, ter teleponto (não foi tudo tão preparado, tão pensado... não houve novidades no debate! Assim, ninguém se importava com um teleponto...) e haver público (claques!), assim é que era... ah, já agora, sem jornalistas: perguntas sorteadas de dentro de uma tombola, por exemplo... (as perguntas também não foram assim tão pertinentes: o que pensam eles da Europa? Ninguém perguntou...)

As perguntas:
O primeiro tema (que deu logo para quase meia hora de debate) - os boatos - a existir, só se fosse no final... É que começar logo por aquela pouca vergonha em que, num debate político, não se fala em política... desanima! De certo que muitos mudaram de canal...
[Inteligente a abordagem do Zézito: "essa pergunta? não deve ser com certeza para mim"]
E continuamos com as perguntas, o segundo tema foi Impostos: nenhuma novidade... um diz que tem o objetivo de os manter outro promete mantê-los...,
A diante. Segurança Social: o Zézito quer dar 300 € aos velhinhos, o Pedrito diz que é melhor dar-lhes com estágios profissionais...
[uma das mais hilariantes calinadas do debate: 1-0 para o Zézito]
Até que enfim algum debate... alguma diferença: Administração Pública. O Pedrito reduz o peso do Estado aumentando o PIB [mas como?], aumenta a produtividade e poupa no funcionamento [como tem vindo a fazer?]... o Zézito decreta: por cada dois que saiam (que se vão reformando) só entra um ("mas calma lá, não é rígido... de uma maneira geral...")... "e o que é preciso é acabar com a burocracia!"... por outro lado acena com, ainda que "moderados", aumentos salariais...
[ter-se-à o Zézito esquecido que um funcionário público quando se reforma continua a receber a reforma do Estado? Isto é continua a ser uma despesa para o Estado...]
E vira! Quase chegados ao intervalo... idade da reforma e tal... blá, blá...
Imaginamos como terá sido o intervalo: os adversários voltam ao canto do ringue, levam com a água na cara... lêm-se mais umas cábulas... (deve ter sido extraordinário... os telefonemas... as pessoas em seu redor...)
Abertura da segunda parte... e co-incineração! Aqui o Zézito teve azar por o debate não ter sido visto por todos os eleitores (muitos já tinham desligado a televisão... depois da história dos boatos)... safou-se muito bem quando explicou que lá essa coisa (a que nós continuamos desfavoráveis mesmo depois da explicação dele) é só para ser usada [resta saber se isso é mesmo verdade...] para a "pequena parte" de resíduos que o Pedrito disse não saber o que fazer e que se tentaria exportar... Cá para nós... o Zézito aqui safou-se muito bem...
Ai o aborto! ["Aborta aqui, Aborta ali!"] Claro que aqui o PSL conseguiu ir buscar a homosexualidade e roçar, novamente, o boato, a intriga... enfim... sobre o assunto propriamente dito... não há novidades.
E depois... mais um deveneio do jornalista... o que é uma derrota?
Bom, o Zézito teve que lhe explicar quanto é um mais um ("vencedor é quem tem mais votos que o segundo votado")... lá foi falando da maioria absoluta, mas lá foi dizendo que é um objectivo... por outras palavras, não será uma derrota se lá não conseguirem chegar...

Por fim, as declarações finais...
O Zézito teve tempo de mais... houve ali uma altura em que já estava a encher chouriços... lá foi dizendo aquelas generalidades... mudança... novo rumo... ter um rumo... Portugal vai voltar a acreditar em si próprio, apostando no crescimento da economia, no combate ao desemprego, no desenvolvimento tecnológico... acabar com a probreza e a desigualdade! Boa Estratégia: Boa Governo e blá, blá...
O Pedrito ganhou! Falou para as câmeras! Falou para as pessoas [não disse praticamente nada, mas...]: "eu tenho um sonho"... Começou por lembrar o Guterrismo [já cá faltava, realmente], depois prometeu "Portugal tem de ser uma das 10 Nações desenvolvidas na Europa a 25", e acaba por falar em confiança... dizendo: "terão essa confiança com um overno PS, coligado com o Bloco de Esquerda?"... Mas no final, a pérola: "Contem comigo, atrevo-me a dizer, conto convosco."

Uma coisa é certa, quem, como nós, viu o debate do início ao fim, tem dificuldade em dar o seu tempo por bem entregue... não houve novidades, o formato do debate não agradou, os dois tinham tudo muito bem preparadinho e daí não saíram... não teve grande interesse... dificilmente ajudou a generalidade das pessoas a escolher o seu sentido de voto...
Boa Noite!

1 Comments:

At sábado, fevereiro 05, 2005 10:31:00 da tarde, Blogger INRInacruz, o Observador said...

Também eu, daqui de cima, vi essa prova oral!! De facto, apesar de não por completo, subscrevo algumas das críticas apontadas: 1.º: péssimo formato para um debate (que assim não o chegou a ser) 2.º: o conteúdo eminentemente teórico dos discursos não permite ao eleitor uma concretização e avaliação práticas das hipotéticas futuras medidas governamentais

 

Enviar um comentário

<< Home